quarta-feira, outubro 03, 2007

Memória

Embora nunca tenha conseguido gostar de manga, considerava inigualável a sensação que o cheiro da fruta, naturalmente caída da árvore, provocava quando misturada ao mato úmido do bosque da escola. Sentir novamente aquele aroma, agora que a estiagem anunciava sua partida, representou uma fulminante, mas prazerosa, volta ao passado – quando as maiores preocupações eram muito menores que as menores de hoje.

Um comentário:

Di disse...

Adoro cheiro de manga!!!
Árvores me lembram minha infância pq gostava de subir nelas, talvez por isso fotografe tanto elas.
Se bem que só tenho fotos de ipê roxo, parecem um buquê enorme de flores.