segunda-feira, outubro 08, 2007

À (a) noite

Luzes de boate provocam efeitos ilusórios. Foi assim que ele sempre pensou. Até aquela noite, pelo menos. Tanto é que nem se impressionou pelo fato de aquele olhar parecer destinar-se a ele. Mas a insistência, essa quase sempre eficaz artimanha dos perseverantes, o obrigava a rever conceitos. Surpreendeu-se quando ficou claro que, sim, eram para ele que os atrevidamente penetrantes olhos se dirigiam.

Pensou em desviar o olhar, misturar-se à multidão extasiada e acreditar que o possível flerte nada mais era do que mero devaneio. Antes que pudesse agir, porém, surpreendeu-se novamente. Ela aproximara-se. Determinada e insinuante. Mulheres com iniciativa são indiscutivelmente mais interessantes. E mais bonitas. E como ela era bonita!

A inicial timidez dele o emudeceu, e ela considerou tudo isso um charme. Tocou-lhe a mão e o fez sorrir. Aí conversaram. Conversa hipnótica, dessas que revelam e insinuam, provocam e ponderam, convidam e dissimulam. Pareceu que falaram por horas, mas foram breves minutos. Em dado momento, acariciou-lhe o rosto recém-barbeado, passando para trás da orelha parte do cabelo desarrumado.

Hora de despedirem-se, dissera ela. Beijando-o no rosto. Ousou novamente e pediu a ele o celular. Quando ele proferia os primeiros números, ela cobriu os lábios dele com um dedo longo, claro e suave. “Quero que você me dê o telefone, o aparelho”. E ele atendeu, ainda sem entender muito bem que propósitos havia ali. Habilmente, ela apertou as teclas, deixando gravado ali o seu número do telefone. Dissera-lhe seu nome, mas gravou apenas o apelido. Duas letras. Ele gostou disso. Denotara uma intimidade que, embora ainda não tivessem, parecia sempre ter existido. “Assim terei certeza de que você não anotou errado o meu telefone. Espero seu convite para um almoço”.

E ele foi embora pensativo. “Será?” “Já?”

3 comentários:

Anônimo disse...

venho por meio desta divulgar a minha nova coluna, visse? é na revista paradoxo.

chêro
guzimeire
http://www.revistaparadoxo.com/materia.php?ido=4976

Ana Laura Naves disse...

Excelente!!
Precisa me atualizar de suas histórias, Wagner.
Saudades.

Ana Laura Naves disse...

Nenhum texto novo????? Cadê vc,Wagner???